sexta-feira, 30 de março de 2012

***************

Há tempos chamava-se a uma mulher assim a "Fada-do-Lar"........

quarta-feira, 28 de março de 2012

DESINTOXICA-TE!

O QUE TE INTOXICA?
Todos nós atravessamos períodos de maior ou menor stress físico, emocional ou mental, em que automaticamente recorremos a práticas e a hábitos enraizados, que têm como objectivo preencher uma necessidade interior de paz, equilíbrio e amor, ainda que disso não nos apercebamos, e que são nocivos ao nosso organismo. Estes automatismos servem uma satisfação imediata, mas pouco persistente no tempo, e que em breve regressa em forma de uma nova necessidade com mais força. É um ciclo vicioso de intoxicação, que simplesmente te anestesia e te impede de sentir: o medo, a dor, o vazio.

PORQUE TE DESINTOXICARES?
Porque todas as formas de intoxicação representam técnicas de atraso ao nosso desenvolvimento, equilíbrio e cumprimento do plano pessoal e divino. Ao intoxicares os vários níveis do teu ser, estás a colocar nele camadas de densidade que precisarás de remover, mais cedo ou mais tarde, para poderes prosseguir o teu caminho com alegria, saúde e abundância.
Todas as doenças e “acidentes” ganham primeiro forma ao nível astral, antes de atingirem o nosso corpo físico. Se pretendes curar-te a todos os níveis e limpar a tua energia, não achas que é um contra-senso estares a poluir o que acabaste de limpar? A escolha é inteiramente tua, pois o livre-arbítrio é o teu direito por nascença, mas sê honesto contigo mesmo e avalia se realmente te tens tratado como mereces, ou se, à medida que realizas o teu trabalho interior por um lado, continuas a repetir padrões e a utilizar estratégias de atraso pelo outro.
Estas estratégias são mecanismos de defesa do ego. Tem a consciência de que existe uma parte em ti que não quer perder o controlo, entregar-se e largar tudo aquilo que conhece como certo, para arriscar numa aventura para a qual não existe um percurso rigidamente definido e para a qual “não se conhece o final”.
Tudo bem, não te martirizes. O teu ego existe e está de boa saúde. Se a sabedoria divina quis que assim fosse, por algum motivo terá sido, mas existe uma grande diferença entre conhecer e comandar o ego e em ser comandado por ele.
COMO TE DESINTOXICARES?
Ao nível FÍSICO
1) Faz exercício. As caminhadas na natureza são particularmente eficazes durante os períodos de desintoxicação.
2) Bebe muita água. Ajuda a eliminar as toxinas do corpo e promove as trocas entre as células. O teu cérebro e o teu coração também agradecem.
3) Come frutos e legumes em maior quantidade e reduz ou retira totalmente da tua alimentação por uns dias a carne e o peixe, o café e os refrigerantes.
4) Dorme bastante, recupera o sono perdido. Não penses no que ainda tens por fazer. Permite-te ter o descanso que mereces.
5) Faz jejum, por cinco dias. Gradualmente, reduz os alimentos acima referidos, durante dois dias. No terceiro dia, alimenta-te apenas de frutas e legumes, sopas e sumos nutritivos. Nos dois dias seguintes, integra gradualmente na tua alimentação os restantes sólidos.
6) Não te apresses em tratar os sintomas com medicamentos. Procura as alternativas naturais, pára e reflecte. Limpa-te de todo o ressentimento, dúvida e medo. Vais ver que começas a adoecer muito menos e que, quando isso acontece, recuperas imediatamente.
Ao nível EMOCIONAL
1) Liberta as suas emoções reprimidas. Vê um bom filme, lê um bom livro, está com quem amas, entra em contacto com a tua parte sensível. Chora, ri-te, sê espontâneo.
2) Diz o que sentes. Sê honesto e transparente com os outros acerca dos teus sentimentos e desejos. Eles até podem ser pessoas intuitivas, mas não têm sempre de adivinhar, certo?
3) Vive sem medo. O dia de hoje é uma dádiva. Arrisca-te a torná-lo um dia espectacular. Só por hoje, acredita que é possível, que os teus problemas de alguma forma se irão resolver e que tudo o que precisas chegará até ti sem esforço. Quem sabe te surpreendas...
4) Agradece pelo que tens. Olha à tua volta. Encontrarás exemplos de pessoas que são bem-sucedidas em áreas que para ti são importantes. E encontrarás também exemplos de pessoas que não têm nem metade dos teus recursos, e que provavelmente até são felizes. Seja como for, ambos os tipos de pessoas são reflexos de ti mesmo, das tuas noções de falta e de abundância. Lembra-te de agradecer pelo que tens e por estares vivo. Essa, sim, é uma dádiva sem preço.
Ao nível MENTAL
1) Deixa-te de conversa fiada. “Bla, bla, bla.” O que estás a fazer com o teu tempo?
2) Vigia os teus comentários críticos e negativos. Quando apontamos um dedo a alguém, na verdade, temos três dedos apontados para nós. A crítica é apenas uma forma de tentar controlar algo que não é controlável. Cada qual é como é. E tu também tens direito a ser assim, tal como és, sem reservas.
3) Utiliza novas expressões e cria diálogos positivos. Retira do teu vocabulário as palavras e expressões “não”, “nunca”, “não sei”, “talvez”, “se eu...”, “coitadinho”, “não há nada a fazer”, “estúpido”, e outras afins. O que tu dizes manifesta-se.
4) Só por hoje, tem esperança, e deixa que esse optimismo fique gravado nos teus pensamentos e conversas. O que tu sentes também se manifesta, por isso cultiva em ti sentimentos positivos para viveres rodeado de experiências positivas. E se em algum momento tiveres uma experiência negativa, torna-a positiva, ri-te dela, aceita-a tal como é e segue em frente. Foi só mais uma cena nesta gigante peça de teatro que é a tua vida.
5) Visualiza, imagina, sonha acordado. Isso mesmo, imagina o teu maior sonho, com todos os detalhes, não te inibas. Na privacidade do teu delírio acordado, permite-te sonhar com toda a força aquilo que mais queres neste momento, aquilo que mudarias neste preciso momento na tua vida. Sonha muitas vezes durante esta semana. E vê os resultados..vel ESPIRITUAL
Acredita. Não importa no quê. Acredita no divino. Deixa que o divino se revele em ti, se manifeste e te surpreenda.
2) Perdoa, liberta, ama. A maior libertação espiritual que podes dar a ti mesmo e aos outros é o perdão incondicional. Perdoa! Já passou. Não peças mais nada. Aceita as coisas tal como são. E sê feliz por estares aqui!


Recebido por e-mail

domingo, 25 de março de 2012

Livros

Marley & Eu: a Vida e o Amor ao Lado do Pior Cão do Mundo (no original em inglês, Marley and Me: Life and Love with the World's Worst Dog) é um livro de não-ficção escrito pelo jornalista norte-americano John Grogan.
Através de uma narrativa em primeira pessoa, John Grogan relata a história real de seu cachorro da raça labrador americano chamado Marley e sua participação durante treze anos na sua vida.
O livro é um best-seller em vários países, inclusive no Brasil e nos Estados Unidos.

Inf. Net

quinta-feira, 22 de março de 2012

Dia Mundial da Água




Nunca perca a fé na humanidade, pois ela é como um oceano. Só porque existem algumas gotas de água suja nele, não quer dizer que ele esteja sujo por completo.Mahatma Gandhi



quarta-feira, 21 de março de 2012

Dia Mundial da Poesia


Poesia é a vida cantada,
Umas vezes rimada,
Outras vezes não.
Poesia é a vida chorada
Quando as palavras
São acompanhadas
Das lágrimas do coração.
Poesia é viver fingindo
Aquilo que se não sente
Ou aquilo que se esconde...
O poeta é um fingidor
Mas não se sabe até onde...
Há coisas que ficam guardadas,
Há outras que são pintadas
Com as cores do arco-íris,
Num mundo de fantasia
Que vive dentro de nós
E que ajuda a caminhada
Nesta estrada conturbada
Desta vida tão atroz.
Poesia são olhos iluminados
Por todos os nossos desejos
Poesia é chorar cantando,
Poesia é viver sonhando,
Em segredo, dentro de nós.

Leonor Costa

terça-feira, 20 de março de 2012

Soneto do amor na Primavera






-Dá-me todas tuas rosas nesta nova primavera


Dar-te-ei em troca muito mais do que esperas


Dar-te-ei luz, novas cores, novas eras


E meu amor, muito mais do que quimeras


Por tuas rosas, dar-te-ei a minha vida


Dar-te-ei tudo, tu serás minha querida


Para sempre a minha amada


Pela simples poesia desenhada


E nos caminhos mais floridos, dar-te-ei dias tão lindos


Entre todas tuas rosas, dar-te-ei a minha prosa


Dar-te-ei o meu estar e a razão mais exata de sonhar


Nessa nossa primavera, muito mais que tuas rosas


Dar-te-ei o meu calor, dar-te-ei todo meu ar


Dar-te-ei o meu amor, simplesmente por te amar








segunda-feira, 19 de março de 2012

Pai




Entre o sonho e a realidade
Debato-me com a vontade
De voltar a ser criança.
De ver teus olhos, meu pai,
Que há tantos anos não vejo
Tão doces e carinhosos,
Tão cheios de amor por mim….
Que saudades eu tenho
Das minhas brincadeiras,
Dos meus risos, da minha inocência!
Teus braços eram o paraíso
Onde adormecia cansada…
Depois, com amor,
Levavas-me para a caminha,
Um ninho de andorinha
Onde eu me aninhava.
Que saudades eu tenho
De voltar a ser essa pessoa
Tão alegre, tão diferente…
Hoje já não tenho os teus braços,
Nem teus beijos e carinhos,
A minha maior riqueza….
Muitos anos já passaram
Sobre o dia em que partiste….
E quão sozinha me senti então.
Partiste… mas não morreste!
VIVES NO MEU CORAÇÃO!

Leonor

quinta-feira, 15 de março de 2012

Até quando terás, minha alma, esta doçura






Até quando terás, minha alma, esta doçura,
este dom de sofrer, este poder de amar,
a força de estar sempre – insegura – segura
como a flecha que segue a trajetória obscura,
fiel ao seu movimento, exata em seu lugar…?

Cecília Meireles

sábado, 10 de março de 2012

Recados

Sinto a falta dos comentários dos meus amigos!