domingo, 26 de fevereiro de 2006

ORIGEM DO CARNAVAL

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Carnaval no Rio de Janeiro, Brasil - fevereiro de 2005
O carnaval é um período anual de festas profanas, originadas na Antiguidade e recuperadas pelo cristianismo, que começava no dia de Reis (Epifania) e acabava na Quarta-feira de cinzas, às vésperas da Quaresma. Constituía-se de festejos populares provenientes de ritos e costumes pagãos e se caracterizava pela liberdade de expressão e movimento. É a maior festa popular do Brasil.
[editar]

História e etimologia
O carnaval tem raízes históricas que remontam às bacanais e a festejos similares em Roma; alguns historiadores mais ousados chegam mesmo a relacionar o carnaval a celebrações em homenagem à deusa Ísis ou ao deus Osíris, no Egipto antigo.
Em Roma havia uma festa, a Saturnália, em que um carro no formato de navio abria caminho em meio à multidão, que usava máscaras e promovia as mais diversas brincadeiras. Essa festa foi incorporada pela Igreja Católica, e segundo alguns a origem da palavra carnaval é carrum navalis (carro naval). Essa etmologia, entretanto, já foi contestada. Atualmente a mais aceita é a que liga a palavra "carnaval" à expressão carne levare, ou seja, afastar a carne, uma espécie de último momento de alegria e festejos profanos antes do período triste da quaresma.
Em 1091 a data da Quaresma foi definitivamente estabelecida pela Igreja Católica; como consequência indireta disso, o período de Carnaval se estabeleceu na sociedade ocidental, sofrendo, entretanto, certa a oposição da Igreja, na Europa. Embora alguns papas tenham permitido o festejo, outros o combateram vivamente, como Inocêncio II.
À seqüência do Renascimento o Carnaval adotou o baile de máscaras, e também as fantasias e carros alegóricos. Ao caráter de festa popular e desorganizada juntaram-se outros tipos de comemoração e progressivamente a festa foi tomando o formato atual, que se preserva especialmente em regiões da França (ver Mardi Gras), Itália e Espanha.




Carnaval em Lisboa -1912

sábado, 25 de fevereiro de 2006

NOVO BLOGUE

Venho aqui divulgar um novo blogue.

Tem coisas bonitas para gente jovem. Vão até lá !




Aqui fica o endereço http://aiaimatilde.blogspot.com

Aproveito para vos desejar um bom fim de semana!

OS ANIMAIS RIEM?



"Se o riso é inato, deve haver evidências para ele no registro evolutivo. Quando observamos primatas próximos aos humanos, nós vemos que o riso não é único a nós mesmos. Os antropóides (chimpanzés, gorilas e orangotango) abrem suas bocas, expõe seus dentes, retraem os cantos da boca, e emitem vocalizações altas e repetitivas, não como o riso dos humanos, mas sons mais parecidas com guinchos ou granidos ou até mesmo através de certas posturas corporais. Eu não acho isso surpreendente, porque nós somos somente uma entre as espécies sociais e não existe razão pela qual deveríamos ter um monopólio sobre o riso como uma ferramenta social.

O riso pode ter evoluído até mesmo antes dos primatas aparecerem em cena. Ratos, quando estão brincando com seus companheiros, emitem vocalizações que são interpretadas como riso. Estudos realizado pelo neurobiologista americano Jaak Panksepp mostraram que ratos emitem vocalizações ultrasônicas durante o comportamento de brincar de rolar no chão. Pansepp sugere que ratos e primatas, especialmente os jovens, usam o riso para distinguir de interações físicas ameaçadoras. Nós observamos filhotes rolar no chão com os outros, mostrar os dentes e ameaçar morder e perseguir o companheiro. Para nós, eles claramente estão brincando com esta luta de faz-de-conta, mas, vocalizações súbitas do comportamento, incluindo vocalizações, sinalizam a seus parceiros que a luta não é séria. A inabilidade de um filhote de rato vocalizar por causa de um dano cerebral, pode levar a uma luta séria.".

ÓCULOS


Usados na Itália e na China no século XIII


A ideia de corrigir a visão através do uso de LENTES foi descrita pelo cientista inglês Roger Bacon no século XIII, embora não tenha sido posta em prática. Os óculos de lentes convexas - para ver ao perto - apareceram em Veneza, Itália, nos fins do século XIII. Por esta altura também já eram utilizados na China.

As lentes côncavas, para corrigir a miopia, só surgiram em meados do séculoXV em Itália. Em 1775 o estadista americano Benjamin Franklin inventou as lentes bifocais combinando os dois tipos de lentes num só par de óculos.

As lentes de contacto foram pela primeira vez aplicadas em 1887 pelo Dr. Eugen Frick na Suíça.


Do Livro "História dos Grandes Inventos"

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2006

HOMENAGEM A ZECA AFONSO



"José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos (ZECA AFONSO) nasceu em Aveiro, a 2 de Agosto de 1929, filho dum magistrado e duma professora primária. A infância reparte-se entre Aveiro, Angola, Moçambique, Belmonte e Coimbra, devido às sucessivas deslocações profissionais do pai.
Em Coimbra, estudante do Liceu D. João III, conhece o guitarrista António Portugal e começa a interessar-se pela música. Em fins da década de 40, já aluno de Ciências Histórico-Filosóficas da Faculdade de Letras de Coimbra, destaca-se, à semelhança do irmão, como cantor de fados."


Faz hoje 19 anos que Zeca Afonso faleceu.

Esta é a minha singela homenagem.







quarta-feira, 22 de fevereiro de 2006

UM PEQUENO DESABAFO, NADA MAIS...


Um velhinho simpático e educado pede auxílio a quem passa. Se há coisa que me toque o coração é ver um idoso a estender a mão à caridade alheia, ainda por cima tendo nascido numa família de nome. Várias vezes o ajudei, escutei os seus desabafos acerca de uma vida amargurada, sem saber como conseguir dinheiro para pagar o aluguer do quarto. Isto acrescido ao facto de ser maltratado pela dona da casa e de ter estado de cama, com muita febre, sem ter quem o tratasse. Ouvindo isto e observando aquela figura frágil, de lindos cabelos brancos e olhos azuis, fiquei triste por não poder resolver-lhe os problemas. Nunca mais me saíu da cabeça ao ponto de pensar falar com uma pessoa influente que pudesse ajudá-lo.

Meses depois, recentemente, vejo esse senhor a comprar lotaria, conversando com o empregado, como se se conhecessem há longa data. Deixei-o saír e fiz perguntas. Fiquei então a saber que o dito senhor possui um andar onde vive, tem um filho no ramo da hotelaria que, ao que parece, além de ser amigo do pai, vive bem.

Esta coisa de brincarem com os nossos sentimentos magoa um bocado!

Pergunto-vos: como se sentiriam de estivessem no meu lugar?

Como estamos no carnaval pensei mascarar-me de parva ou de ursa...

terça-feira, 21 de fevereiro de 2006

RECOMEÇAR


Não importa onde você parou...
em que momento da vida você cansou...
o que importa é que sempre é possível e necessário "Recomeçar".
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo...
é renovar as esperanças na vida e o mais importante...
acreditar em você de novo.
Sofreu muito nesse período?
foi aprendizado...
Chorou muito?
foi limpeza da alma...
Ficou com raiva das pessoas?
foi para perdoá-las um dia...
Sentiu-se só por diversas vezes?
é porque fechaste a porta até para os anjos...
Acreditou que tudo estava perdido?
era o início da tua melhora...
Pois é...agora é hora de reiniciar...de pensar na luz...
de encontrar prazer nas coisas simples de novo.
Olha quanto desafio...
quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te esperando.
Ta se sentindo sozinho?
besteira...tem tanta gente que você afastou com o seu "período de
isolamento"...
tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu para "chegar"
perto
de você.
Quando nos trancamos na tristeza...
nem nós mesmos nos suportamos...
até a boca fica amarga.
Recomeçar...
hoje é um bom dia para começar novos desafios.
Onde você quer chegar?
Ir alto...sonhe alto...
queira o melhor do melhor...
queira coisas boas para a vida...
Pensando assim trazemos pra nós aquilo que desejamos...
se pensamos pequeno...
coisas pequenas teremos...
Já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente lutarmos pelo
melhor...
o melhor vai se instalar na nossa vida.
E é hoje o dia da faxina mental...
Joga fora tudo que te prende ao passado...
ao mundinho de coisas tristes...
Fotos...
peças de roupa, papel de bala...
ingressos de cinema, bilhetes de viagens...
Jogue tudo fora...
mas principalmente... esvazie seu coração...
fique pronto para a vida... para um novo amor...
Lembre-se somos apaixonáveis...
somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes...
afinal de contas...
Nós somos o "Amor"...
"Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura."


Carlos Drummond de Andrade

SEM COMENTÁRIOS...

E é assim a vida: tudo nos conformes para facilitar o Zé Povinho! Não há nada como estas modernices. Quando chegamos lá já não precisamos. Há que ter reflexos rápidos e muita resistência! Nós somos um povo de guerreiros e mareantes e talvez por isso metemos tanta água!...

Hoje o Rossio está cheio de ingleses por causa do futebol. É deveras agradável vê-los a beber cerveja e a deixarem os copos de plástico e as latas por tudo quanto é lado! Ouvi comentar que se a polícia apertasse com eles já não faziam isso. Ó senhores, mas nós o que fazemos? Por isso é que isto vira caixote do lixo! Aqui perdem-se os bons costumes. Sim, porque na terra deles são civilizados... Agora estão de férias!

domingo, 19 de fevereiro de 2006

*********

Quando estou só reconheço
Se por momentos me esqueço
Que existo entre outros que são
Como eu sós, salvo que estão
Alheados desde o começo.

E se sinto quando estou
Verdadeiramente só,
Sinto-me livre mas triste.
Vou livre para onde vou,
Mas onde vou nada existe.

Creio contudo que a vida
Devidamente entendida
É toda assim, toda assim.
Por isso passo por mim
Como por cousa esquecida.



Fernando Pessoa

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2006

COR-DA-ESPERANÇA


Nos caminhos tortuosos da vida ainda há rosas cor-da-esperança.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2006

PARIS


Fui a Paris em Maio de 2005. Viagem que jamais esquecerei, tanto por ter adorado Paris como pela companhia - o meu filho. Muitas vezes fazem-se projectos que não se concretizam mas esta viagem foi planeada na semana anterior e decorreu da melhor forma possível. Nos primeiros três dias a temperatura era amena e as parisienses ainda não tinham deixado as gabardines nem os agasalhos. Depois, repentinamente, aqueceu e tivemos um calor de sufocar que nos fez refugiar no hotel, tendo saído só ao fim da tarde para irmos ao Arco do Triunfo. Subi não sei quantos degraus, esqueci-me, mas aguentei-me. Tinha de me aguentar porque isto de ter de aturar uma "cota" é muito aborrecido... Não lhe perguntei mas ainda hoje estou convencida de que o rapaz ficou admirado com a minha resistência... Pelo menos a expressão dele dava para perceber...
Parece que ainda me sinto a passear por aqui...

No cimo da Torre Eiffel, a 1 451 km de Lisboa e a 320 metros de altura.

Depois da visita ao Arco do Triunfo jantamos no MacDonald's. Como tinha estado muito calor a sede apertava e eu bebi uma coca-cola das grandes, como era previsto. No fim, o meu filho disse-me, com ar brincalhão : "Já podes dizer às tuas amigas que jantaste nos Champs Elysees..... no.... MacDonald's....".

Descemos aquela imensa avenida e observamos o mar de gente que por ali circulava. Os restaurantes estavam cheios de gente. Sentia-se um certo "cheiro" a dinheiro... Rimos, brincamos e, no meio de tanta cumplicidade deixamos de ser mãe e filho para sermos o que se chama de dois compinchas! Até aí tudo bem... Só que, ao chegarmos à estação do metro começo a sentir uma sensação esquisita... Era a coca-cola a manifestar-se! Podem imaginar, não é?... Lá consegui chegar ao hotel sem novidade, e tinha mais uma coisa para contar às minhas amigas...

E assim se passou uma semana, sem darmos por isso. De manhã à noite não parávamos e visitámos o máximo possível. Muita coisa ficou para ver, como é de calcular, mas já posso dizer que Paris é uma FESTA!

terça-feira, 14 de fevereiro de 2006

DIA DOS NAMORADOS




A origem do Dia de São Valentim - Dia dos Namorados:


" O Dia de São Valentim cai num dia festivo de dois mártires cristãos diferentes, de nome Valentim. Mas os costumes relacionados com este dia. . . provavelmente vêm duma antiga festa romana chamada Lupercalia, que se realizava todo 15 de Fevereiro. A festa homenageava Juno, a deusa romana das mulheres e do casamento, e Pã, o deus da natureza." (The World Boock Encyclopedia).

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2006

UMA QUESTÃO DE INTENSIDADE...

Um rapaz aproximou-se de Sócrates, e disse-lhe:

- Quero a sapiência.
- Até que ponto a queres?
- Preciso dela.

Sócrates levou-o à praia, entrou pelo mar até que a água lhes chegasse ao pescoço, e empurrou-o com quanta força para o fundo. Quando o jovem voltou à tona, Sócrates indagou:

- Enquanto estiveste mergulhado, o que é que querias acima de tudo?
- Ar! Eu queria ar! Muito ar!
- Então tens o teu problema resolvido. Quando desejares a sabedoria, como desejaste o ar, enquanto estiveste debaixo de água, ela estará ao teu alcance.



N.Handy

Momentos de Reflexão



terça-feira, 7 de fevereiro de 2006

"DESMARRIDA"



"Desmarrida" é uma palavra que não vem no dicionário mas que saía do coração de minha mãe para assim exprimir a forma como ela se sentia. E é assim que eu me venho sentindo há algum tempo: desmarrida...

Sabem o que é? Não sei explicar-vos, mas é o que eu sinto, para juntar à falta que sinto dela... Ela esteve sempre presente quando eu precisei e, mesmo quando eu nem sequer pressentia, estava atenta a qualquer coisa que pudesse parecer-lhe suspeita...

Ai, Mãezinha... ainda dizemos muitas vezes, mesmo quando elas já não acodem ao nosso chamamento. Mas o coração parece ficar mais confortado, menos oprimido... Hoje estou mesmo a precisar de um colinho... Estou desmarrida...

domingo, 5 de fevereiro de 2006

O GATO


Foto 1000 imagens
"O gato possui beleza sem vaidade, força sem insolência, coragem sem ferocidade, todas as virtudes do homem sem vícios."
Lord Byron

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2006

DOR SEM FIM

Ao meu filho Miguel




A maior dor do mundo
Não tem tamanho
Nem fundo,
Não tem princípio
Nem fim.
Não tem peso
Nem medida.
É uma dor bem sentida
Que magoa cá no fundo…
Eu já senti essa dor,
Já lhe provei o amargor.
Já provei e não esqueci…
A maior dor do mundo
Não tem tamanho
Nem fundo
E dói fundo, muito fundo…