quinta-feira, 29 de setembro de 2005

A MINHA HOMENAGEM A ALFAMA



Quando Lisboa anoitece
Como um veleiro sem velas,
Alfama toda, aparece
Uma casa sem janelas
Aonde o povo arrefece.

É numa àgua-furtada,
No espaço roubado à mágoa
Que Alfama fica fechada
Em quatro paredes de água!
Quatro paredes de pranto!
Quatro muros de ansiedade!
Que à noite fazem o canto
Que se acende na cidade.

Fechada em seu desencanto,
Alfama cheira a saudade!
Alfama não cheira a fado,
Cheira a povo, a solidão!
Cheira a silêncio magoado!
Sabe a tristeza com pão!
Alfama não cheira a fado
Mas não tem outra canção!
Ary dos Santos
Esta é a minha homenagem ao bairro onde nasci. Alfama é linda, sabiam?

PENSAMENTO

"Não vou chorar porque você me ensinou a sorrir; não vou perder, porque você me ensinou a vencer; não vou sofrer, porque você me ensinou a ser feliz; não vou morrer porque você me ensinou a viver, Mas se algum dia fores embora, vou chorar, perder, sofrer e morrer, pois você nunca me ensinou a te perder.".

QUERO LÁ SABER!...

Quero lá saber que digam que uma mulher não gosta de bonecas... Eu gosto!

Quero lá saber que digam que rir faz rugas... Eu gosto!

Quero lá saber que digam que fazer renda no banco do jardim é próprio de velhas... Eu gosto!

Quero lá saber que digam que os gelados engordam... Eu gosto!

Queo lá saber que digam que gesticulo quando falo... Sou latina. Eu gosto!

Quero lá saber que digam que sou piegas porque uso diminuitivos... Eu gosto!

Quero lá saber que digam que tenho muitas manias... Eu gosto!

Quero lá saber que digam que não gostam de mim...

Que seria do azul se todos gostassem do amarelo?...

quarta-feira, 28 de setembro de 2005

FILHA ÉS... MÃE SERÁS

Sinto-me desenraízada.
Perdi as minhas referências.
Sinto-me só... Sinto-me órfã...

Ás vezes, e muitas vezes, se me ocorre alguma dúvida, ainda caminho para o telefone para te fazer perguntas. Não me lembro que já não estás cá...

Quando ralho com o meu filho, sem me lembar que já é crescido, lembro-me de ti.Tenho o mesmo jeito... Sou mãe-galinha...

Quando ele me responde, lembro-me de mim... Também te chamava "chatarrona"...

Mas hoje entendo-te tão bem, sabias?...

terça-feira, 27 de setembro de 2005

AINDA SOU JOVEM...


Há três meses que ando por aqui. Tem sido uma experiência gratificante e divertida. Assim ocupo parte dos meus tempos livres, especialmente à noite. Quero agradecer a força que me têm dado com os vossos comentários, pois de contrário creio que já teria desistido. É bom ter a vossa companhia.

Como já devem ter reparado sou uma tagarela. Desde a Maria Rosa à D.Micas e todos os que ficaram para trás, reaprendi o gosto de pegar na caneta e deixá-la deslizar ao sabor dos pensamentos. Mas com "Ó minha vizinha!" excedi-me... Gosto de fazer rir...

Mais uma vez agradeço a vossa presença amiga e espero poder contar com as vossas visitas.

Bem-vindos!

domingo, 25 de setembro de 2005

A VIDA É FEITA DE "MAS" - "SES" E "PORQUÊS"

SE eu fosse criança:

1 - Brincava com bonecas
2 - Saltava à corda
3 - Jogava ao "mata"
4 - Corria como uma gazela
5 - Via-me como uma" princesa"
6 - Acreditava em fadas
7 - Lia histórias de encantar

Mas depois cresci:

1 - Adultos não brincam com bonecas
2 - Não salto à corda
3 - Faço palavras cruzadas
4 - Corro quante baste
5 - Sinto-me "madrasta"
6 - Acredito em "bruxas"
7 - Leio pouco

Porquê?

1 - Porque "parece" mal
2 - Estou mais pesada
3 - Para ginasticar o cérebro
4 - Deixei-me de velocidades
5 - Falta-me o espelho da "Branca de Neve"
6 - Cá por umas coisas
7 - Porque não me chega o tempo para tudo


Esta foi a proposta que vos fiz quando fui de férias. Só respondeu a Joaninha.

Agora foi a minha vez. Alterei a ordem das palavras porque me deu mais jeito...


sábado, 24 de setembro de 2005

VAMOS A ISTO


Ó sr. Deputado Carmona Rodrigues, não acha que é um pouco incómodo trabalhar de gravata?... Ponha-se mais àvontade, não faça cerimónia... E ser fôr eleito não se esqueça de mandar consertar esse candeeiro e outros mais que estão nas mesmas condições. E mande também limpá-los porque há anos que não vêm àgua a não ser a da chuva, o que agora vai sendo cada vez mais raro...
Pode ter a certeza que os moradores do Bairro da Madre de Deus agradecem! E vamos a isto, Lisboa!

BOM FIM DE SEMANA!

Divirtam-se e aproveitem o sol porque já estamos no Outono!

quinta-feira, 22 de setembro de 2005

ALGUÉM ME DIZ...

Porque é que os furacões têm nome de mulher?

Talvez porque a mulher é uma força da natureza!

OUTONO


Toda a melancolia do Outono,
Que ao longe se pressente,
Está nestas folhas ao abandono
E neste amor sempre ausente.

A água cantante das fontes
Entoa um hino de amor,
Há poesia pelos montes,
Há mensagens em cada flor.

Na pálida luz da madrugada
A lua vai de novo adormecer
Surge o clamor duma alvorada,
E começa um novo dia a nascer.

Outono, tu tens tal magia,
Algo de misterioso e vago
E o passar de cada dia
Tem a quietude de um lago.

terça-feira, 20 de setembro de 2005

ESTA LISBOA QUE EU AMO


Nesta Lisboa que eu amo
Vejo o mar em cada esquina
Esta Lisboa tem ondas
No andar de uma varina.

Cidade tão antiga, cidade amiga,
Modesta e bela,
Varia com as marés
e tem o Tejo a seus pés a chorar de amor por ela.

Cidade de mil cantigas
Nasce a canção como a flor
Na boca das raparigas
Andam cantigas de amor.

Cidade tão antiga, cidade amiga,
Modesta e bela,
Varia com as marés
e tem o Tejo a seus pés

Ai chorar de amor por ela...


Cantada por Simone de Oliveira

ALGUÉM ME DIZ...

porque motivo eu anda assim...
se devia andar assim?... Is.........to é que está uma vida!!!

segunda-feira, 19 de setembro de 2005

SEM VELA NEM NORTE


Um dia embarquei...
Fiz-me ao mar
Num barco sem remos,
Sem vela, sem norte.
Andando ao sabor das ondas,
Impelida pelo vento,
Entreguei-me à minha sorte.

Minha alma
Tão triste e só
Sente saudades doutrora,
Desse tempo de menina,
Do tempo que foi embora.
Chora, minha alma, chora
Lança fora o desencanto
Dos sonhos que já sonhaste,
Dos sonhos que já perdeste...
Deixa correr o teu pranto...
E depois, minha alma,
Mais leve,
Já podes adormecer.
Embalada ao sabor das ondas
Verás que vais esquecer...

DEIXA QUE CHORE

Deixa que chore
Ainda que não vejas
O pranto que me corre pelo rosto
E me alivia o coração.
Deixa que chore
Pois isso não te perturba
Nem tem significado para ti.
Deixa que chore
Enquanto ainda
Me restam lágrimas
Para regar
O deserto da minha vida!

domingo, 18 de setembro de 2005

PARA ALGUNS SERES ESPECIAIS


Tem sempre presente que a pele se enruga, que o cabelo se torna branco, que os dias se convertem em anos, mas o mais importante não muda!

Tua força interior e tuas convicções não têm idade.

Teu espírito é o espanador de qualquer teia de aranha.

Atrás de cada linha de chegada, há uma de partida.

Atrás de cada trunfo há outro desafio.

Enquanto estiveres vivo, sente-te vivo.

Se sentes saudades do que fazias, torna a fazê-lo.

Não vivas de fotografias amareladas.

Continua, apesar de todos esperarem que abandones.

Não deixes que se enferruge o ferro que há em ti.

Faz com que em lugar de pena te respeitem.

Quando pelos anos não consigas correr, trota.

Quando não possas trotar, caminha.

Quando não possas caminhar, usa bengala.

Mas nunca te detenhas!

Madre Teresa de Calcutá

sábado, 17 de setembro de 2005

BOM FIM DE SEMANA!


Um bom fim de semana, com saúde e alguma paciência para ir levando a vida...

Beijinhos!
Leonor

ATRIBULAÇÕES...


Esta manhã, ao chegar aqui verifiquei que não podia publicar fotos. Fiquei fora de mim! Todos os dias arranjo uma coisa! Estou a ficar tótó ou sou uma grande nabiça? Desculpem-me os termos mas isto anda a irritar-me!

Bem, mas isto lá se compôs, depois de andar por aí a fazer experiências...

Vê mas é se tens juízo e não fazes avarias...

sexta-feira, 16 de setembro de 2005

GOTAS


Na ponta de uma folha há uma gota indecisa
vai crescendo, redonda, pequenina,
límpida e cristalina
como o esquife de um raio de luz...

De repente
à aragem ténue que passou
tremulou,
caíu...
E a gota pequenina sobre a terra fofa
desapareceu,
e o esquife de cristal partiu-se, e pelo espaço
livre, o raio de luz ressuscitou...
fugiu...

Eu conheço outra gota parecida:
- a vida...


J.G.Araujo Jorge

Do livro "Bazar de Ritmos"

UMA VIAGEM AO ONTEM

Mil imagens
Subi ao sótão das minhas recordações. Sentei-me, fechei os olhos e deixei a mente viajar até ao ontem do tempo.........
............... O ar é cálido... cheira a primavera...
Além vem a correr uma garota morenhinha, alegre como um passarinho! Traz uma flor na mão.
O vestido é branco e as sandálias são vermelhas... E ri, como ri, despreocupadamente! Entregou a flor à mãe e logo fugiu para ir ter com as amigas que a esperam.
Estranho... Conheço aquele garota... Aquela garota parece-se comigo... Serei eu?...
Sim, sou eu! E aquela é a minha mãe!!!
Como estou diferente... O que o tempo fez...
.............. E uma lágrima deslizou pelo meu rosto e trouxe-me para o presente, para o Hoje.

quinta-feira, 15 de setembro de 2005

CONVERSA DA TRETA...

Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência...

SEM COMENTÁRIOS

Foto Mil Imagens

terça-feira, 13 de setembro de 2005

A MINHA FIGURA


É assim que eu estou: depois de uma semana de férias não sei para que lado me vire! Vamos a ver se consigo pôr tudo em dia!

segunda-feira, 12 de setembro de 2005

ESTOU DE VOLTA

Com muita mágoa minha isto é tudo o que vos posso mostrar das minhas férias...
depois de tirar uma centena de fotos...

o cartão da máquina deu o "berro"... Estou desolada!...
**********
Espero que tenham passado bem a semana, durante a minha ausência.
Já fui e já voltei! Os dias passam depressa. Mal chegamos já estamos de volta!
O Algarve estava magnífico, com um sol radioso e águas apetecíveis. Pedras d'El-Rei é um lugar acolhedor com muitos recantos para explorar. Fiquei num apartamento com uma localização privilegiada: frente à piscina e com uma vasta panorâmica. Para quem quiser saber e que lhe possa ser útil, é o nº.60.
Levantava-me cedo, tomava o pequeno almoço , atravessava a ponte e ia de combóio para a praia do Barril. O Barril é na ilha de Tavira, como devem saber.
Por volta das 13 horas almoçava e permanecia numa das esplanadas até cerca das 18 horas, lendo, escrevendo, fazendo palavras cruzadas e passatempos. Às vezes voltava à praia, outras vezes ia para o aldeamento. Ficava junto à piscina, estendia-me na relva e deixava passar o tempo.Como sabe bem não ter horários, como sabe bem descontraír e não pensar... Na praia, pairar, pairar ao som das ondas do mar enquanto a brisa e o sol nos acariciam o corpo... Ali, na piscina, escutar os passarinhos e a alegre "chilreada" das crianças.
Tanta criança linda que eu vi e das mais diversas nacionalidades! No entanto, todas elas se entendiam... Meu Deus, como seria bom se os adultos fossem assim!...
E , olhando aqueles rostinhos que me sorriam, aqueles olhos límpidos, sem maldade, senti que, quando perdemos a inocência das coisas nos tornamos amargos e agressivos. Se o mundo fosse povoado de crianças-grandes como tudo seria diferente... Sou uma sonhadora...
Mas voltemos atrás, às férias! Assisti a um espectáculo de araras simplesmente maravilhoso! Desde andarem de triciclo até tocarem um sino, tantas quantas vezes o número indicado pelos presentes, foi o máximo!
Ao pequeno almoço servia sempre umas migalhinhas aos pardais que por lá saltitavam e era uma graça vê-los zangados , disputando entre eles a merenda...
Agora riam-se, se quiserem, mas foi a primeira vez que vi uma romãzeira... e há por lá muitas.
Lisboeta pouco habituada ao campo é assim...ignorante...
Só uma coisa me correu mal e ainda não consegui digeri-la: tirei cento e tal fotos e não se aproveitou nem uma! O cartão "pifou", pura e simplesmente e, mais uma vez, furiosa e com um nó na garganta grito:" para a próxima levo a máquina velha!!! "Que frustração!
Sendo assim, a única coisa que vos posso oferecer são estas fotos...
Se não me engano, o apartamento onde fiquei é o que está ao fundo (na foto da piscina), ou o outro à direita, mesmo ao lado do campo de ténis.
A ponte que se vê no postal é a que se atravessa para apanhar o combóio que nos leva até à praia.
Vim no sábado, na camioneta das 15,30 e a primeira coisa que fiz foi olhar o Tejo. Depois liguei o computador esó encontrei uma resposta ao desafio que havia lançado a todos vós...
"Mas" então "porquê"? "se" era tão simples?... Contudo, eu ainda não escrevi nada. "Talvez" por falta de imaginação... Pois é, não contei com os "talvez" da vida que, por vezes, são muitos e bem exasperantes! Talvez- não é sim nem não. Não é quente nem é frio. É um meio-termo que nunca se sabe para que lado vai pender...
Então aqui me têm novamente, tentando escrever algo, ficção ou realidade, mas com o prazer que me dá criar qualquer coisa, partilhar algo e comunicar. Acima de tudo comunicar e sentir que, para além deste écrã estão outras pessoas que sonham e sentem como eu.
Leonor

sexta-feira, 2 de setembro de 2005

AGORA VOU EU!

Foto Mil Imagens

Pois é, agora vou eu de férias! São só 8 dias, longe de Lisboa, não muito longe, só no Algarve, nas Pedras d’El-Rei. Durante esse período aqui o meu “amigo” também vai ter descanso… Prometo trazer fotos e novidades, pois talvez tenha oportunidade de escrever alguma coisa.

Sabem, tive uma ideia: vou deixar-vos um desafio… O tema é:“A vida é feita de “Porquês, “Ses” e “Mas”. Em prosa ou em verso tanto faz. Quem aceita o desafio? Depois venho ver…

Beijinhos, até breve!


Leonor

GESTOS DE TERNURA

Sim, considero o título bem escolhido.

Colhida especialmente para mim...

Há coisas pequeninas, gestos de ternura, momentos gratificantes que desafiam uma lágrima furtiva que nem tento disfarçar. Quem me conhece sabe que eu sou assim...

Devo dizer que me foi oferecida com um sorriso franco , do tamanho do mundo...

Está ali tudo , não preciso de palavras. Sou uma sentimentalona, pois sou... Extremamente sensível a qualquer demonstração deste género, a qualquer gesto de afecto!

Minha alma "derrete-se" e o caudal dos meus olhos transborda sem reservas...

Como é bom que se lembrem de nós, com uma "coisinha" singela e cor-de-rosa como o amor, tal como esta!

Aqui vai ficar a foto. No meu coração ficará gravada para sempre.

Para juntar às "Coisas pequeninas... Mas eu gosto!" de 5/7/05.

DA MINHA JANELA EU VEJO

Quando estou aqui ao computador esta é a vista magnífica que tenho diante dos meus olhos...Desde a Ponte Vasco da Gama (1ª. foto) passando pelo Porto de Lisboa...
com o Barreiro ao fundo...
Digam lá se não é uma maravilha...
Pois é verdade, é este o panorama que tenho todos os dias em que "converso" convosco, basta-me levantar a cabeça e olhar lá para fora. À noite não é menos bonito, como devem calcular.
Especialmente no Verão é bom ver as luzinhas ao longo de toda a outra margem do Tejo. Também gosto de observar quando há navios atracados mesmo aqui em frente, todos iluminados, assim como os guindastes, por vezes movimentando-se dum lado para o outro, carregando e descarregando mercadoria.
Quando há festa no Montijo, Atalaia, Moita e outros lugares, até assisto ao fogo de artifício!
Gostaram? Espero que sim. Eu também gostei de partilhar este cenário convosco.
Com amizade
Leonor

quinta-feira, 1 de setembro de 2005

RECORDAR É VIVER...

Foto Mil Imagens


Foi em Setembro que te conheci.
Trazias nos olhos a luz de Maio,
Nas mãos o calor de Agosto
E um sorriso, um sorriso tão grande
Que eu nunca vi no tempo…
Ouve, vamos ver o mar…
Foste trinta de Fevereiro
Dum ano por inventar…
Falámos, falámos coisas tão loucas
Que acabámos em silêncio
Por unir as nossas bocas…
E eu aprendi a amar!

Sim, eu sei, que tudo são recordações
Sim, eu sei, é triste viver de ilusões,
Mas tu foste a mais linda história de amor
Que algum dia me aconteceu
E recordar é viver,
Só tu e eu…

Foi em Novembro que partiste.
Levavas no olhar as chuvas de Março
E nas mãos o mês frio de Janeiro.
Lembro-me que me disseste
Que o meu corpo tremia
E eu queria ser forte
Respondi-te que tinha frio,
Falei-te no vento norte.
Não, não digas adeus!
Quem sabe, talvez um dia…
Como eu tremia, meu Deus!...
Amei como nunca amei,
Fui louco, não sei, talvez,
Mas por pouco, muito pouco
Eu voltaria a ser louco
Amar-te-ia outra vez!


Poema de Tó Zé Brito

Cantado por Victor Espadinha